Código de Ética do Bombeiro Civil e Pessoal de Emergência

Normas Nacionais
Ferramentas

Código de Ética do Bombeiro Civil e Pessoal de Resposta a Emerências.
Bombeiro, Guarda-vidas, Tripulante de Veículos de Emergência, Docentes e estudantes
Conheça o compromisso assumido pelos inscritos nos registros do CNBC

 Art. 2 - Exercer a profissão com liberdade, autonomia e ser tratado segundo os pressupostos e princípios legais, éticos e dos direitos humanos e trabalhistas.

    Art. 3 – Aprimorar seus conhecimentos técnicos, científicos e culturais que dão sustentação a sua prática profissional.

    Art. 4 - Apoiar as iniciativas que visem ao aprimoramento profissional e à defesa dos direitos e interesses da categoria e da sociedade.

    Art. 5 - Recusar-se a executar atividades que não sejam de sua competência técnica, científica, ética e legal ou que não ofereçam segurança ao profissional, à pessoa, ao ambiente e coletividade.

    Art. 6 - Ter acesso às informações, relacionadas aos riscos ao ambiente e coletividade, necessárias ao exercício profissional.

    Art. 7 - Participar da prática profissional multi e interdisciplinar com responsabilidade, autonomia e liberdade.

    Art. 8 - Recorrer ao Conselho Nacional de Bombeiros Civis, quando impedido de cumprir o presente Código, a legislação do Exercício Profissional e as Resoluções e Decisões emanadas pelo Conselho.

    Art. 9 - Associar-se, exercer cargos e participar de Entidades de Classe e Órgãos de Fiscalização do Exercício Profissional.

    Art. 10 – Requerer, ao Conselho Regional de Bombeiros Civis, mediadas ações cabíveis para obtenção de desagravo público em decorrência de ofensa sofrida no exercício profissional.

    Art. 11 – Anunciar a prestação de serviços para os quais está habilitado.

    Art. 12 - Realizar e participar de atividades de ensino e pesquisa, respeitadas as normas ético-legais.

    Art. 13 – Ter sua autoria ou participação reconhecida em produção técnico-científica.

    Art. 14 – Utilizar-se de veículo de comunicação para conceder entrevistas ou divulgar eventos e assuntos de sua competência, com finalidade educativa e de interesse social.

    Art. 15 - Suspender suas atividades, individual ou coletivamente, quando a instituição pública ou privada para a qual trabalhe não ofereça condições dignas para o exercício profissional ou que desrespeite a legislação do setor, ressalvadas as situações de urgência e emergência, devendo comunicar imediatamente por escrito sua decisão ao Conselho.